A situação cria lacunas do quadro de docentes em alguns estabelecimentos escolares

Professores abandonam as escolas

Resumo: Entrevista realizada al director de educación, ciencia y tecnología de la provincia del Cuando Cubango de Angola, en la cual expresa su preocupación por la alta deserción de docentes a nivel de las escuelas de la región.

Fotografia: Carlos Paulino
Fotografia: Carlos Paulino

A Direcção Provincial da Educação, Ciência e Tecnologia do Cuando Cubango regista, nos últimos tempos, o  abandono de muitos funcionários, sobretudo professores, que procuram outro trabalho em busca de melhores  condições salariais

O director Provincial da Educação, Miguel Kanhime, referiu que, só no ano lectivo 2015, a instituição desactivou  das folhas de salários 58 funcionários e conta agora com 5.021 técnicos, dos quais 4.300 professores. Com o constante abandono de professores, muitas escolas vão enfrentar graves problemas no ano lectivo 2016, o que vai obrigar alguns docentes a leccionarem duas classes.

Miguel Kanhime disse que “Ser educador exige muita responsabilidade e não é um trabalho passageiro, porque só se admitem professores na base de concursos públicos e a nossa província está desde 2012 sem realizar este processo de admissão”. Para colmatar o actual défice, a província necessita com urgência de, pelo menos, dois mil professores

Apesar da situação que o sector enfrenta, o ano lectivo 2015 na província do Cuando Cubango foi coroado de êxito, pelo nível de aproveitamento escolar, na ordem dos 75 por cento.O ano foi mesmo melhor que os anteriores, devido à inauguração de muitas escolas em todos os municípios, que permitiram a inserção de milhares de crianças no sistema de ensino e melhorar as condições daqueles que estudavam à sombra de árvores e em capelas, explicou Miguel Kanhime.

O Processo de alfabetização tamben tem êxito, no ano lectivo de 2015 foram alfabetizados nos nove municípios da província cerca de 19 mil cidadãos. Este processo, assegurado por 400 alfabetizadores, é desenvolvido no âmbito do programa “Sim, Eu Posso”, em cooperação com professores cubanos. O programa tem alcançado níveis satisfatórios no Cuando Cubango, sobretudo nas comunidades rurais, onde ainda existe um  elevado número de pessoas que não tiveram oportunidade de estudar devido à guerra que assolou o país.

O ano de 2015 foi aquele em que mais cidadãos na província aprenderam a ler e a escrever. Antes, o número  rondava pouco mais de seis mil pessoas alfabetizadas por ano. Este ano, as autoridades prometem redobrar de esforços para que o processo de alfabetização chegue a todos as localidades da província.

Angola. Provincia Cuando Cubango/Enero 2016/Jornal da Angola On Line.
Autor: Carlos Paulino

jornaldeangola.sapo.ao

Editora: Keyla Isabel Cañizales

Comparte este contenido:

Deja un comentario

Tu dirección de correo electrónico no será publicada. Los campos obligatorios están marcados con *

Este sitio usa Akismet para reducir el spam. Aprende cómo se procesan los datos de tus comentarios.