Após mutirão, campanha Zika Zero foca na volta às aulas

Brasília, Brasil

Nos próximos dias, alunos de diversas escolas em todo o País voltam às aulas. Como nos anos anteriores, a equipe do Plano de Mobilização Social pela Educação no Ministério da Educação (PMSE/MEC) aproveita o momento de maior presença de pais, mães e responsáveis nas escolas para reafirmar a importância do diálogo com as famílias sobre a necessidade de acompanhar a vida escolar dos seus filhos e filhas.

Um tópico que vai ser enfatizado nesta volta às aulas é o combate ao Aedes aegypti,  vetor de transmissão da dengue, da febre chikungunya e do zika vírus. Será promovida a adesão das escolas e da comunidade à campanha Zika Zero, que tem como objetivo eliminar o mosquito por meio da mobilização de estudantes, professores e servidores da educação.

Leia mais sobre a campanha.

A Flacso Brasil é signatária, junto a outras 19 entidades, do Pacto da Educação Brasileira contra o Zika. A iniciativa do Ministério da Educação (MEC) tem o objetivo de articular uma grande rede de mobilização para realizar um plano de enfrentamento ao mosquito Aedes aegypti em todos os segmentos da educação brasileira. O objetivo é usar escolas, universidades e institutos de educação como meio para estabelecer diálogo, levantar debates e levar informações sobre o combate ao mosquito.

Mobilização Nacional – No último sábado (13), Dia Nacional de Mobilização Zika Zero, 2,8 milhões de residências em 428 municípios do País, foram visitadas por 220 mil integrantes das Forças Armadas, 46 mil agentes de combate às endemias e 266 mil agentes comunitários de saúde. Mais 160 representantes do governo federal, incluindo ministros, chefes de autarquias e presidentes de bancos públicos federais e de estatais, participaram da ação em diferentes cidades. A presidenta Dilma Rousseff visitou casas e conversou com moradores no Rio de Janeiro. As casas, terrenos baldios e construções abandonadas concentram de 70% a 80% dos focos de reprodução do mosquito Aedes aegypti.

 “Foi um dia muito importante mostrando identidade e unidade nacional, do município até o governo federal”, afirmou o ministro da Saúde, Marcelo Castro. “Nós seremos vitoriosos. Para isso é imprescindível, é indispensável que a sociedade brasileira abrace essa causa e elimine os criadouros do mosquito”.

O ministro da Defesa, Aldo Rebelo, destacou o sucesso da mobilização envolvendo as Forças Armadas. “Julgamos que alcançou plenamente os objetivos, integrou a ação das Forças Armadas com ações do Ministério da Saúde e das secretarias estaduais e municipais de saúde. Essa mobilização e integração, que ocorreram em todos os 26 estados e no Distrito Federal, foi importante para elevar o nível de mobilização das famílias, das pessoas dentro de casa”.

Ele reforçou que a ação não terminou no sábado. A partir desta segunda (15), 55 mil integrantes das Forças Armadas prosseguem atuando até o dia 18 aplicando larvicidas e produtos de combate ao mosquito ou no apoio aos agentes de saúde.

O ministro da Casa Civil, Jaques Wagner, avaliou que o Dia Nacional de Mobilização Zika Zero foi fundamental para o engajamento da sociedade. “Não há poder público sem participação da sociedade que consiga vencer essa batalha”. Ele incentivou cada família, no seu dia de faxina semanal, a tirar de 15 a 30 minutos para revisitar ralos, caixas d’água, e todo o quintal. “A tarefa será perene, de longo prazo. Temos que ter dimensão de longo prazo do combate, [tem que ser uma] questão constante”, disse.

Ele apontou que, na sexta-feira (19), começam, sob coordenação do Ministério da Educação, ação de conscientização dos estudantes. A medida coincide com o retorno às aulas na maior parte das escolas pelo País e também contará com o apoio das Forças Armadas.

Para mais informações sobre o combate ao mosquito, acesse: http://combateaedes.saude.gov.br

Para saber mais sobre o mutirão, visite: http://zikazero.tumblr.com/

*Com informações do Blog do Planalto e do Blog da Mobilização

Por Marina Baldoni Amaral – Flacso Brasil

Comparte este contenido:

Deja un comentario

Tu dirección de correo electrónico no será publicada. Los campos necesarios están marcados *